segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Oscar 2015: filmes vencedores e melhores momentos

Oscar 2015: filmes vencedores e melhores momentos

O 87th annual Academy Awards realizado neste domingo (22/02) foi bastante controverso. O Oscar 2015 continuou sua tendência de premiar filmes menores e independentes e ignorar parcialmente os blockbusters. Mas, apesar de controverso, este continua sendo o evento não-esportivo mais importante do mundo e todas as produções indicadas e vencedoras têm seu mérito por estar ali. 

O apresentador Neil Patrick Harris (que já apresentou por diversas vezes o Tony e o Emmy Awards) dividiu opiniões, tendo momentos de brilhantismo e de bolas foras. Os grandes vencedores da noite foram Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) Grand Budapest Hotel (ambos com 4 Oscars), além de Whiplash (3 Oscars). 

Entre os filmes que entraram como favoritos e saíram perdendo estão The Imitation GameBoyhood e American Sniper, com 1 Oscar cada um.

Veja abaixo a relação dos 10 melhores momentos da cerimônio do Oscar 2015 e a lista de todos os vencedores.


Cueca

O apresentador Neil Patrick Harris invadiu o palco de cuecas. Ele re-encenou uma cena do filme Birdman, incluindo uma aparição do baterista Miles Teller em referência à Whiplash


Racismo

Na abertura da cerimônia, Harris soltou uma das alfinetadas mais ousadas do Oscar: "Hoje honramos os melhores e mais brancos, digo, mais brilhantes de Hollywood", disse ele, referindo-se à ausência de diversidade entre os principais indicados.


Igualdade

A vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante Patricia Arquette, que interpretou uma mãe solteira em Boyhood, levantou a questão do machismo em seu discurso: "Nós lutamos pela igualdade de direitos para todos. É hora de ter igualdade salarial", Arquette disse, clamando por "direitos iguais para as mulheres nos Estados Unidos da América". O clamor faz referência aos e-mails da Sony que vazaram recentemente com dados de que as mulheres recebem menos do que os homens (sim, até mesmo Jennifer Lawrence). A melhor parte foi Meryl Streep na platéia vibrando e aplaudindo ferozmente.


Lágrimas

Common e John Legend realizaram uma interpretação apaixonada da música premiada com o Oscar Glory, tema do filme Selma, e levaram o público às lágrimas. A performance recebeu aplausos de pé por quase 2 minutos. Chris Pine parecia ter um sistema hidráulico em seu rosto. "Dizemos que Selma é agora, porque a luta pela justiça acontece agora", disse Legend em seu discurso de aceitação, fazendo referência ao fato de nenhum ator negro ter sido indicado às categorias principais. 






#AskHerMore

"O que você está vestindo?" "Como é que você começa a se aprontar?" "Seus sapatos machucam?" Estas perguntas geralmente não são dirigidas aos homens no red carpet. Esta foi a gênese da campanha #AskHerMore, forçando repórteres a fazer questões mais profissionais e não sexistas às mulheres. Reese Witherspoon defendeu a campanha à uma repórter da ABC: "estamos tão felizes por estar aqui e falar sobre o trabalho que temos feito." Será que fez efeito? Bem, ainda sabemos que Kerry Washington usava Miu Miu e que Naomi Watts fez uma fritada para o almoço.


Gaga

Lady Gaga não decepcionou em sua aparição no red carpet. Usava longas luvas vermelhas que pareciam luvas de lavar louça (as luvas foram trending topic no Twitter). Mas nada disso teve importância quando ela entrou no palco para cantar um medley de canções em homenagem aos cinquentenário de The Sound of Music (A Noviça Rebelde). A interpretação foi impressionante e a cantora provou ser muito mais que uma figura polêmica do mundo pop.






Inábil

Ano passado, John Travolta errou o nome de Idina Menzel quando foi chamá-la ao palco para interpretar o tema de Frozen, Let it Go, e a anunciou como "Adele Dazeem" (???). Este ano ele já havia tido um momento de vergonha alheia no red carpet ao agarrar Scarlett Johansson enquanto ela fazia uma cara impagável de desconforto. Durante o show, Travolta se reencontrou com Menzel para apresentar o prêmio de canção original. Harris o anunciou com uma referência ao ator britânico indicado ao Oscar de melhor ator, Benedict Cumberbatch: "Cumberbatch é o som que você ouve quando pede para John Travolta pronunciar 'Ben Affleck."


Infame

Sean Penn ao apresentar o Oscar de melhor fotografia olhou para o cartão na sua frente, fez uma careta, e fez uma pausa dolorosa. Depois abriu novamente o envelope e saiu do script. "Quem deu a ele o green card?" disse ele, referindo-se ao diretor mexicano Alejandro González Iñárritu, que venceu por Birdman. Piadinha infame, para não dizer infeliz.


Emoção

Eddie Redmayne foi pura emoção e espontaneidade dançando no palco e apenas curtindo seu tempo no sol quando ganhou o Oscar de melhor ator pela sua interpretação de Stephen Hawking em "A teoria do tudo". Ele disse para a estatueta: "Eu vou ser o seu guardião. Vou polir você". E fechou com um "Eu te amo tanto" para a sua esposa Hannah.


Suicídio

Vencedor do Oscar de melhor roteiro adaptado, Graham Moore de O jogo da imitação disse que, quando ele tinha 16 anos, ele já havia tentado se matar. Ele fez um discurso emocionado, encorajando as pessoas com "sejam estranhos, sejam diferentes". O tema também foi levantado por Ellen Goosenberg Kent e Dana Perry quando foram receber o Oscar de melhor curta documentário por "Crisis Hotline: Veterans Press 1." O tempo de Perry já estava esgotando quando ela dedicou o prêmio ao seu filho que se suicidou. A música foi até interrompida. Mas Harris logo quebrou o clima fazendo uma piada infame sobre o vestido de Perry.


Ausência

A comediante Joan Rivers, sempre presente nos red carpets do Oscar, morreu em setembro e a academia a deixou de fora do segmento in-memoriam. Gafe! Rolou babado, confusão e gritaria pelo Twitter.


Lego

Diversos críticos (e o público) concordaram que "Lego, O Filme" foi a melhor animação do ano. E ela não foi nem indicada na categoria! Ao invés disso, foi indicada na categoria música do ano. Mas eles encararam com bom humor quando foram performar a canção "Everything is Awesome", entregando Oscars de Lego para a audiência.


Smash

Jennifer Hudson cantou a canção "I Can't Let Go", no momento de tributo do Oscar. Poucos reconheceram a canção, que é original da segunda temporada da série de TV Smash, na qual a cantora também contracenava, e que foi cancelada pelos baixos índices de audiência. Um belo revival para a série que tem se tornado uma pérola indie.







Veja a lista completa com os vencedores:



  • Melhor Ator Coadjuvante: J.K. Simmons, por Whiplash
  • Melhor Figurino: Milena Canonero, por Grande Hotel Budapeste
  • Melhor Maquiagem e Penteados: Frances Hannon e Mark Coulier, por Grande Hotel Budapeste
  • Melhor Filme Estrangeiro: Ida, de Pawel Pawlikowski (Polônia)
  • Melhor Curta: The Phone Call
  • Melhor Documentário em Curta-metragem: Crisis Hotline: Veterans Press 1
  • Melhor Mixagem: Whiplash
  • Melhor Edição de Som: Sniper Americano
  • Melhor Atriz Coadjuvante: Patricia Arquette, por Boyhood
  • Melhores Efeitos Visuais: Interestelar
  • Melhor Curta de Animação: Feast
  • Melhor Animação: Big Hero 6
  • Melhor Design de Produção: Grande Hotel Budapeste
  • Melhor Fotografia: Birdman
  • Melhor Montagem: Whiplash
  • Melhor Documentário: CitizenFour
  • Melhor Canção: Glory, de John Legend e Common
  • Melhor Trilha Sonora: Grande Hotel Budapeste 
  • Melhor Roteiro Original: Alejandro G. Iñárritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris, Jr. e Armando Bo, por Birdman
  • Melhor Roteiro Adaptado: Graham Moore, por O Jogo da Imitação
  • Melhor Direção: Alejandro G. Iñárritu, por Birdman
  • Melhor Ator: Eddie Redmayne, por A Teoria de Tudo
  • Melhor Atriz: Julianne Moore, por Para Sempre Alice
  • Melhor Filme: Birdman



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...